sexta-feira, 30 de setembro de 2016

O SUICIDA É UM HERÓI, E EU VOU EXPLICAR O POR QUÊ

Teatro da vida em 4 Atos

1) Pegue uma agulha.
2) Posicione a agulha no canto da unha.
3) Agora afunde a ponta dentro do dedo...
4) Agora afunde até o fim...
 
Se você chegou ao quarto ato, parabéns: você será um suicida bem sucedido. Mas se você se acovardou, sorry... você tem apenas uma tendência.
 
Ah sim... você se sentiu ofendido por reconhecer que só tem tendência? Quer evoluir isso para uma possível estatística? Sorry... você é uma pessoa pretensiosa que só quer plateia.
 
É preciso muito “sangue-frio” para atentar contra a própria humanidade.
 
Ou total falta de esperança e perspectiva.
 
Mas uma escolha? Raramente.

“A vida é uma benção”, “há pessoas que amam você – pensem nelas”, blábláblá... Alguém perguntou se queríamos vir a este mundo? A vida é uma imposição ou escolha? A partir de qual momento temos liberdade sobre nós mesmos? Livre-arbítrio: escolher o que se planta, porém, arcar com as consequências da colheita.
 
O poder da vida é o maior dos poderes nesse mundo. Está somente nas mãos de Deus? Não somos Sua imagem e semelhança? Então esse poder NOS PERTENCE! “Vede, agora, que Eu Sou o único, Eu somente, e mais nenhum deus além de mim. Faço morrer e faço viver, faço adoecer e faço sarar, e ninguém há que seja capaz de livrar-se da minha mão” (Deuteronômio 32,39).
 
O suicida se torna Deus no momento em que tira a própria vida. Sabe qual é o problema dessa decisão? Ela não permite o arrependimento. Nós nunca saberemos se a pessoa queria realmente escolher viver ou acabar com o que lhe afligia.
 
E o que você quer? Chamar a atenção? Ajuda?
 
O desafio é: TENTE DECIFRAR A INTENÇÃO DO SUICIDA – MAS FAÇA ISSO ANTES QUE ELE SEJA BEM SUCEDIDO. E garanto: o dia que alguém encontrar essa resposta, será capaz de ser Deus em sua essência.
 
Algo impossível, não é?
 
Depressão é algo que se escolhe? NÃO!
 
Estar depressivo – isso sim – é uma escolha.
 
Vida é algo que se escolhe? NÃO
 
Estar vivo – e como estar vivo: isso sim é uma escolha.
 
Dor? Inevitável – como lidar com ela? Depende de nossa escolha, conforme nossa resistência.
 
“O suicida só pensou nele” – ok, mas as pessoas ao redor do suicida pensaram nele? Pensaram se sua decisão era acabar com a própria vida, ou com a dor que sobrecarregava sua vida? As pessoas dão importância SÓ ao que o suicida representava em suas vidas – quando ele ainda era vivo – e se sentem OFENDIDAS por isso lhes ser tirado.
 
O suicida se torna um mistério cuja solução não o trará de volta, mas poderá trazer luz sobre alternativas de ajudar quem SOMENTE quer ajuda para se livrar da dor – e não tirar a própria vida.
 
As pessoas só darão atenção a você, que faz das redes sociais “muro de lamentação”, com a consumação de seus “atos suicidas”. A mesma sociedade que adora se entreter com “webtretas”, também adora se entreter com “suicidas bem sucedidos”.
 
A vida só é preciosa porque acaba.
 
Eu escolhi a vida.
 
Faça a sua escolha.
 
= = =
 
Sobre o título deste texto? Chamei o suicida de "herói" para chamar a atenção. Para tirar você de seu mundinho particular confortável, e se importar com outros mundos além do seu.
 
Porque isso também é SER HUMANO.
 
 
Foco, força, fé e foda-se!

10 comentários:

  1. Respostas
    1. Gata, vou considerar o "legal" como: o estilo de escrita que usei você considerou legal. Outra pessoa interpretaria mal, mas esse foi o meu entendimento do "legal"

      Excluir
  2. A vida é sem dúvidas um dom e eu não acho que tenhamos o direito de tirar a vida de alguém ou até a nossa própria. Realmente acredito que quem atenta contra a própria vida precisa de ajuda psicológica, não somos e não precisamos ser fortes em tudo, podemos e devemos sim pedir ajuda quando não conseguimos lhe dar com algo. E com certeza precisamos mesmo olhar mais o próximo e tentar perceber se ele está precisando de alguma ajuda! bjs

    ResponderExcluir
  3. Que teatro bacana! Realmente não sei se teria coragem de afundar a agulha no meu dedo!

    ResponderExcluir
  4. Suicídio é sem dúvidas um assunto muito sério que precisa ser tratado com muito cuidado! Temos mesmo que estar atentos a quem nos rodeia

    ResponderExcluir
  5. Eu definitivamente não afundaria a agulha, nem pensaria em pegá-la. Acho que as nossas vidas são muito preciosas, e valem muito. (Ao meu olhar cristão, foi comprada a preço de sangue.) Achei ótima a observação, você sempre trazendo ótimas reflexões.

    ResponderExcluir
  6. Depressão é um assunto muito sério, e suicidio tb, já tive vários amigos que tentaram mais n conseguiram e com tratamento hoje estão melhores. É muito complexo e vasto esse assunto, por ter Ns motivos para tal atitude. Devemos estar atentos e cuidadosos sempre. Vc escreve muito bem, parabéns.

    ResponderExcluir
  7. Gostei do texto!Precisamos estar atentos, a quem nos rodeia e procurar ajudar... antes que seja tarde demais!

    ResponderExcluir
  8. Nossa ! Era polémica Mesmo! Eu não fui ate eu final kkk eu nem peguei a agulha ! Acho que nem tendência a ser suicida eu tenho ! Mas adorei como voce abordou o tema ! Me fez refletir.

    ResponderExcluir
  9. Otimo texto. Você se explicou bem, tinha tomado um susto com o título kkkk. Também escolho viver.

    ResponderExcluir