terça-feira, 17 de janeiro de 2017

RESENHA DO LIVRO “AINDA ESTOU AQUI”, DE MARCELO RUBENS PAIVA

Marcelo Rubens Paiva é um escritor, dramaturgo e jornalista – da nova geração de escritores brasileiros, está entre os que mais se destacam. Sua trajetória é extensa, entre livros, adaptações para peças de teatro e filmes, passando até por colunista dos jornais O Estado de São Paulo e Folha de São Paulo.
 
 
O livro “Ainda Estou Aqui”, foi lançado em 2015. Conta a história de sua mãe, Eunice Paiva, e nelaatrela suas lembranças com as memórias dela, de maneira muito harmoniosa, como se fosse possível assistir um mesmo filme passando em duas telas simultâneas. Possui muitas facetas, e é narrado em primeira pessoa, o que permite ao mesmo tempo um relato pessoal, um documentário histórico, e principalmente a biografia de sua mãe.
Marcelo descreve como foi sua infância, adolescência e vida adulta, com base em sua relação com a mãe, uma mulher que foge muito do estereótipo de “mãe”. Não é carinhosa, é distante, porém objetiva em ajudar nas questões delicadas quando necessário. E no ápice do livro, quando o seu pai, deputado Rubens Paiva é preso, ele relata que a posição sempre firme e inabalável de sua mãe foi “o norte” para ele e suas irmãs.
Eunice não se entregou ao luto. Cursou Direito, se tornou uma excelente advogada, dedicando-se à causa indígena. Se tornou uma mulher além de seu tempo, onde as mulheres só exerciam papéis de dona de casa e esposas devotadas aos esposos. E essa foi sua forma de “vingança” contra os algozes responsáveis pelo assassinato e desaparecimento de seu esposo. Vitória, ao invés de vingança.
 
 
Marcelo nos apresenta no livro um documentário extremamente objetivo sobre a Ditadura no Brasil, e por meio dos depoimentos das vítimas da tortura, relata a trajetória da prisão de seu pai, culminando com seu assassinato e desaparecimento.
Por fim, Marcelo narra o início da doença de sua mãe: o Alzheimer, e seu desenvolvimento. Relata os diagnósticos médicos, as dificuldades da família, e o rendimento pessoal de sua mãe, ao aceitar sua condição de vulnerabilidade.
O objetivo do livro é manter viva as memórias de Eunice Paiva como mãe, como mulher que não se envergou com a tragédia, superando através de seu trabalho como advogada defensora da causa indígena, e sua atuação contra a Ditadura. Ela não se valeu do “coitadismo” diante do Alzheimer, graças ao apoio de seus filhos, que foi – e é – muito importante para ela, porque “Ela ainda está aqui”: apesar do relato no passado, Eunice ainda vive. Eunice está entre nós, em nós, por meio desta obra magnífica.
O livro me marcou muito. Uma leitura viciante, e em alguns momentos, angustiante. Sufoca quando ele fala de sua tristeza. Revolta quando ele fala da tortura de seu pai. Inspira quando ele fala da posição firme de sua mãe, mas também comove porque a tristeza dela nunca foi vista, mas ele sabia.
Por coincidência, recebi este livro no dia em que Dom Evaristo Arns, ícone da luta contra a Ditadura, faleceu. Considerei um sinal importante.
Agradeço à TAG – Experiências Literárias pelo envio do livro. Agradeço ao Marcelo Rubens Paiva por dividir conosco a história de sua mãe. Agradeço à Eunice Paiva, que ainda está aqui, e agora está em mim.
 
 

6 comentários:

  1. A história realmente deve ser bem marcante. E lidar com o Alzheimer não deve ser nada fácil não...

    ResponderExcluir
  2. Olá, o livro parece bem intenso e marcante, a época da ditadura e tudo que houve com o pai dele foram horríveis, achei interessante ele falar sobre a mãe sobre o quão forte ela foi, parece um belo livro. Bjs

    ResponderExcluir
  3. Elaine, que resenha maravilhosa!!!
    Sua escrita é impecável!
    Que lindo o autor ter feito essa homenagem à mãe, mesmo que relatando esse período terrível que foi a ditadura.
    Embora não seja o tipo de livro que costumo ler, fiquei bem interessada.
    Bjocas e obrigada por compartilhar essa experiência!

    www.umdiamelivro.com.br
    www.youtube.com/literamigas4

    ResponderExcluir
  4. Olá Elaine!
    Que história mais interessante. Fiquei comovida como o filho quis eternizar a memória de sua mãe. E que mulher determinada e forte. Amei o livro e assim que puder vou ler.
    Adorei a sua resenha.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bom?
    Já li várias resenhas sobre esse livro e confesso que fico cada vez mais curiosa! Quero muito ver a forma como a mãe do autor atuou na ditadura militar e a forma como é abordada a doença alzheimer quando se trata de uma mulher tão ativa pessoal e socialmente. Amei sua resenha e fiquei ainda mais louca de vontade de ler este livro. Espero fazê-lo em breve!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Não conhecia o autor, mas gostei muito da proposta do livro. Ele deve transbordar amor e admiração pela mãe em todas as páginas. Deve ser uma leitura realmente intensa, mas independente de parte dela ser pesada ou não, acredito que seja uma leitura importante, pois muitas vezes ficamos perdidos em como lidar com o luto! Me parece que ao escrever, ele conseguiu equilibrar a falta que ela faz em sua vida... O que é muito difícil de se fazer =\ mas o que realmente importa é o que fica. E ele poder dividir essa história com tantas pessoas, só torna isso mais especial Bjs

    ResponderExcluir