segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

VÍCIOS SENSORIAIS

Existe um tipo de escravidão que tem como principal característica tornar a criatura viciada em sensações geradas pelas paixões que a mesma cultiva.
 
Cada pessoa responde de um modo particular ao estímulo lançado. Graças à ilusão do Ego, a pessoa que lança o estímulo se deixa cegar pelo domínio, e a pessoa que o recebe se deixa cegar pela submissão.
 
Ambas estão sob o julgo da expectativa. Ambos os egos se inflam com a vertigem criada, com o caleidoscópio de sensações.
 
Porém, quando elas param de corresponder às vontades umas das outras, surge a frustração. E movidos pelo egoísmo, acontece o abandono.
 
É quando a abstinência faz com que se procure uma nova criatura que possa proporcionar a mesma paixão.
 
Feliz é quem consegue romper o ciclo vicioso dessa escravidão, e toma posse de si. Que com a outra pessoa estabelece um equilíbrio que complementa, e torna a vivência de ambos sublimes de significados.
 
Pois quando a pessoa não está completa de si, permite justamente que seu vazio seja preenchido pelo parasitismo astral dos outros.


O convite para a reflexão é esse: rompa as correntes do vício sensorial, a escravidão invisível induzida por nós mesmos.

9 comentários:

  1. Realmente cada pessoa responde de um modo particular ao estímulo lançado como disse no texto em relações as nossas paixões realmente temos que quebrar essas correntes impostas por nos mesmos , e não podemos procurar outra pessoa pra preencher a outra paixao igualmente a anterior ! Amei o texto ❤

    ResponderExcluir
  2. Bem legal o texto, gostei de como a narrativa se desenvolve de forma indireta no início e depois fica mais explícita do comparativo que deseja fazer com os relacionamentos.
    Muito legal!
    xoxo

    ResponderExcluir
  3. Gente, o que você anda lendo? Isso está impregnado de psicologia! Tive que reler alguns parágrafos duas vezes pois não conseguia me concentrar com a minha mãe falando no telefone (acontece muito). Mas sim, é necessário nos desvincularmos dos vícios, o que é muito difícil num mundo em que a tecnologia e o bombardeio de informações estão sempre sendo atualizados na velocidade da luz. Mas, mesmo ponderando é complexo, principalmente quando se está triste tende-se a passar mais horas nas redes sociais ou alimentando seus vícios. E, com toda essa informação, essa tecnologia que nos deixa alienados acabamos criando uma tendencia a depressão e a insatisfação da própria vida baseado na imagem de perfeição espalhada pela rede. HHAHahahha é um assunto para dias, mas, parabéns pelo texto!

    ResponderExcluir
  4. Que texto incrível! Tão curtinho, mas com uma lição-reflexão ótima no final.

    Eu nunca tinha ouvido o termo "vícios sensoriais", embora tenha uma vaga noção e o principal exemplo que me veio à cabeça assim que li o primeiro parágrafo foi esse que você citou: domínio e submissão! É triste ver que isso existe :(

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Ual!!! Aceito seu convite, realmente é uma ótima reflexão. Seu texto me levou a n questionamentos é como um bom amante de psicologia achei perfeito! Parabéns!

    ResponderExcluir
  6. E como isso é comum não é mesmo? E quando se entra nesse ciclo é complicado sair por quem e geral a pessoa não percebe isso, mesmo que a verdade bata na sua cara com uma marreta. Ótima reflexão!

    http://www.juntandoasnerdices.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Eu estava nessa situação não faz muito tempo, sofrendo por uma ilusão que a pessoa alimentava em mim. Depois que consegui quebrar a corrente, comecei a me sentir mais livre e feliz. Lembrei disso tudo ao ler o seu texto!

    bruna-morgan.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Adorei! Tão rapidinho de ler, mas tão cheio de significado e com um convite maravilhoso para refletirmos como levamos essas relações.

    ResponderExcluir
  9. Realmente não deixa de ter razão quanto ao que diz! Concordo quando dizem que é uma lição e reflexão que fazemos no final do texto!
    Estou seguindo-a! Gostei muito! Beijinho*

    ResponderExcluir